Eu não te pergunto nada, não te peço nada, ate não me preocupo onde e com quem você esteja. Mas toda noite eu sussurro bem baixinho até o sono vir: me ama, por favor.

Caio Fernando Abreu.   

e te deixar em mim. mesmo que soe como um uivo agudo rasgando os tímpanos ou a unha crescente que machuca a carne. dói a alma. mesmo que você seja o sinal de serviço que preserva minhas ligações, eu saio do limite sem me tornar perceptível demais. a gente nunca sabe e nota e convence. ainda que seja o argumento tão forte pra dissolver um tribunal e libertar uma quadrilha, como eu posso estar aqui e não ser o seu lugar? a sua cidade perdida como atlântida? eu sou a trilha que se desprendeu da br e que você quis seguir. daria um belo terror se não fossem os seus medos que te massacram, e desligo. não quero ver as cartilagens derretendo e os poros coagulando. quando é que você vai sarar? quando é que eu vou poder tirar o gesso e rasgar as receitas, jogando fora as precauções? me toma em dose excessiva e essa overdose não passa, mata aos poucos e só te enterra. aqui. no meu terreno baldio que não deixa crescer nada. no seu último aniversário, eles pediram que eu fizesse uma oração. e desde lá, eu nunca rezei pra que você ficasse. nem foi por conta dos meus ceticismos, eu sempre acreditei nos seus contos e em como até seu orgulho era fabuloso. e você dizia “quando o silêncio for permanente…” e eu já sabia do efêmero. mas jamais de quanto eles duram. não mais que você.
Quase consegui parar de te amar umas três vezes só essa semana; mas ao mesmo tempo, tive umas crises de amores e fiquei o dia todo pensando na gente, mas você não precisa saber disso. E cheguei ao ponto de te ver em pessoas que não deveria, de sentir teus abraços em momentos que não podia, e ver teu sorriso como uma lembrança boa… realmente, isso não tinha que acontecer, não agora. Porque estou naquele período que vejo que esse amor não está fazendo bem pra nenhum de nos dois, mas a falta dele ira piorar tudo. É que não tem mais jeito, o amor ta preso na nossa carne, companhia da alma, colado no cheiro do corpo - naquele suor de quem ama de verdade, mas deseja não amar tão intensamente assim. Porque eu morro de amor e você dorme calmamente todo santo dia. Deus, me ajuda a ter uma noite tranquila assim também, não vale eu amar ela tanto assim, mereço um pouco de amor também - mas não vou reclamar, porque quando você resolve me amar desse teu jeito louco é coisa de parar o trânsito, coisa que ninguém ver por ai, é algo que toma um significado tão grande para “nós” que não vejo defeito, falhas ou coisa do tipo, só vejo amor que sempre desejei. Mas você me ama e desama toda hora, me rouba pra ti e foge de mim, pede para eu ficar um pouco mais e vai embora durante um bom tempo. E nessa saudade que tenho dentro de mim, a minha unica necessidade é te ter agora, antes que, por descuido eu consiga parar de te amar de vez, consiga te esquecer e recomeçar um novo amor com outra pessoa, nem que seja por um dia, por uma semana, por um mês talvez - mas antes disso tudo, deixa eu te ver outra vez só. Pois é uma agonia te imaginar e não pode te ter aqui perto de mim.

Wilkeer Souza.

Para alguns poderia até ser pouco, mas para mim era surpreendentemente maravilhoso ser a “cola” do seu coração quebrado.

Gabriela Santos.